Como manter a disciplina?

“Como conseguir manter a organização e a disciplina?”

Recebi essa questão lá na caixinha de perguntas e ela chamou minha atenção. Vou começar a reflexão de hoje, perguntando para vocês….

Vocês já pararam para perceber o quanto é mais fácil a gente se comprometer com os outros do que com nossos próprios projetos? Essa é a realidade de muitas mulheres que eu já conheci. Mulheres que são extremamente responsáveis e proativas quando se trata da casa, da família, dos filhos… ou até mesmo com os próprios clientes.

Mas quando o comprometimento é com algo que vai trazer bem estar apenas para ela, pessoa ou que vai fazer com que ela cresça profissionalmente (logo tendo que colocar mais energia em si e no negócio), parece que as coisas são diferentes. O engajamento muda, a disciplina que antes era tão presente em outros aspectos, quando se trata dela, já não é tão forte assim.

Vocês conhecem alguém assim?

Conto isso na introdução desse episódio, porque eu sei que esse é uma questão mais silenciosa, que nem sempre é tão clara para as mulheres, mas que ronda nossas crenças, nosso sentido de valor e nosso fazer como profissionais e nossos projetos. Então hoje o tema é esse: a bendita disciplina, como mantê-la em nosso empreender.

Existem alguns problemas nessa questão que nos trava:

  1. Procrastinação
  2. A interrupção dos movimentos antes do tempo certo da colheita
  3. O pular de uma ideia/projeto/movimento para outro de maneira pouco estratégica

Quanto mais eu interrompo meus movimentos de expansão, menos forte e capaz eu me sinto.

Precisamos pensar em porquê de fato é importante ter disciplina em nossos movimentos:

  1. Para avançarmos na vida e nos negócios, é preciso plantar, cultivar, semear. Somente com esses cuidados é que os frutos e resultados chegam até a gente.
  2. Outro ponto é que quando temos disciplina, temos constância e quando temos constância isso não é bom apenas para os resultados em si, mas faz bem para a gente internamente. Você com certeza deve se lembrar de alguma situação que você persistiu, se dedicou te gerou uma sensação boa de que você é capaz de enfrentar outros desafios.

Sabe aquele compromisso com você mesma que você tem adiado a tempos? E que sim, você tem várias justificativas para continuar adiando? Pois é, chegou a hora de olhar para esse compromisso, para esse plano, ideia com um novo olhar. Eu do lado daqui, falei o mesmo, cuidado das minhas entregas, dos meus planejamentos e do meu lazer.

“O adulto maduro mantém vivo o movimento com constância e intenção. Segue fazendo o que precisa ser feito.”

Ações para colocar em prática:

  1. Tenha clareza de quem você é, do que você tem para contribuir, suas habilidades, suas necessidades e sonhos. Quanto mais sabemos sobre nós, mais fica difícil fugir daquilo que faz sentido, daquilo que vai nos nutrir. Ou seja, destravamos cada vez mais. Reflita como estão seus movimentos de autoconhecimento.
  2. Pense nos seus objetivos pessoais e profissionais. O que deseja alcançar? E se alcançar? O que você ganha com isso? O que você perde com isso? Como seria sua vida se você realmente concluísse esses objetivos? Pense na micro e macro mudança que isso acarretaria na sua vida.
  3. Agora pense em um objetivo bem especifico e que está martelando na sua mente nas últimas semanas… Como você pode fazer para diminuir as expectativas e ter um olhar mais concreto das possibilidades? Como você pode desmembrar os passos em micro tarefas?
  4. Antes de abandonar uma ideia, reflita se você está desistindo por não fazer mais sentido ou se esse é um padrão que você carrega na vida. Desistir pode ser super estratégico, como pode ser apenas uma fuga. Depois dessa avaliação, e se ainda fizer sentido continuar, complete o ciclo, inicie, desenvolva e conclua para poder fazer uma avaliação mais clara sobre a ideia/projeto.

Boas reflexões do lado daí!

Ana Cecília Coelho

Ana Cecília Coelho

Mentora e psicóloga
Romae