Sobre estar disponível a todo instante para o cliente

“Clientes mandam mensagem de madrugada, no feriado… me sinto mal de não responder na hora”

Quem nunca passou por algo assim? Clientes que mandam mensagem fora do horário comercial, que pedem sua ajuda via whatsapp de graça… São muitas as possibilidades e isso incomoda bastante várias profissionais que eu conheço. Vamos refletir mais sobre isso.

Um dos desafios de encabeçar o nosso negócio

Como profissional autônoma, somos nós, normalmente, quem respondemos e organizamos a agenda. Somos nós que encabeçamos todas as ações do nosso negócio, logo, ninguém melhor para falar dele do que a gente mesmo. Isso tanto pode ser muito libertador como pode ser desafiador…

Isso significa que somos nós que passamos as informações para os potenciais clientes e orientamos e cuidamos dos clientes atuais. E nesse movimento é fácil a gente deixar que o outro “invada” nosso espaço com certas atitudes.

Esse tema me lembrou de uma cliente de mentoria que eu atendi. Ela ficava muito chateada quando o cliente mandava mensagem fora do horário comercial. Isso drenava claramente sua energia. Isso me fez pensar na minha postura quando os clientes também mandam mensagens fora do horário como também aquelas pessoas que contam em detalhes sua vida e pedem respostas rápidas via whatsapp.

Isso já me incomodou no passado, mas hoje consigo impor esses limites com mais segurança. Quando o cliente manda uma mensagem fora do meu horário de trabalho, eu não respondo. Ou se eu percebo a pessoa muito ansiosa, digo que vamos conversar ao vivo e não pelo whatsapp para que eu possa compreender melhor o que está acontecendo.

Tem certas ações simples que ajudam, como o não fazer, o não reforçar. Seria tipo uma não-ação que desgasta muito menos a gente.

Outro ponto legal é que a minha postura de não ficar mais chateada com esses movimentos dos potencias clientes ou dos clientes, não me deixa mais com raiva ou com algum outro sentimento ruim. Sinto que isso reverbera positivamente também nos clientes e nos fechamentos de vendas.

Por que permitimos que o outro nos invada?

Porque continuamos permitindo que o outro determine como será nosso serviço, qual será o preço, quando falar ou não…. Suspeito que seja um grande medo de não sermos aceitas, reconhecidas. Um medo de desagradar, de parecer rude. Mas isso acontece a troco de que?

No caso das clientes que já atendi em mentoria, a moeda de troca nesse sentido, era ansiedade, tensão, medo… e muitas vezes nem resultava de fato em o cliente ficar e gostar de você. Muitas vezes resultava nele indo embora em algum momento e a profissional ficando bem chateada com a situação, afinal a relação estava desequilibrada.

Precisamos compreender os mecanismos que atuam quando dizemos sim ao outro sem pestanejar. O que está por de trás desse comportamento? Como isso afeta o seu negócio?

Claro que existem situações de urgência dependendo da demanda e do seu trabalho, mas tendo essa clareza, fica mais fácil distinguir que momentos vale a pena responder fora do seu horário.

Ações práticas:

  • Estabelecer bloco de respostas: um pela manhã e outro no fim do expediente
  • Ter um chip para o profissional com o whatsapp do profissional (Whatsapp business)
  • Mensagem automática explicando o horário de respostas
  • Otimizar processos, criando PDFs, criando mensagens padronizadas que expliquem algumas perguntas frequentes
  • Refletir: Porque eu preciso atender as demandas do outro?

Respostas, remarcações e a escuta demanda muita energia da gente, então precisamos estar atentos para nos respeitar e colocar limites nessas relações.

Isso faz bem para você e para o processo da pessoa. Isso é sustentabilidade, sabe?

Quem quiser continuar esse movimento de realinhamento, organização e estabelecimento de novas estratégias, a mentoria é um caminho que gera muita clareza dos próximos passos a seguir em direção a expansão do seu negócio, próxima semana vou falar mais dela, pois vou abrir mensalmente 4 vagas para deixar a minha agenda mais redondinha também. Se quiser saber mais, acessa o insta da revire: @revire.psicologia. Um abraço e até breve!

Ana Cecília Coelho

Ana Cecília Coelho

Mentora e psicóloga
Romae