Quer se destacar na Psicologia? Então você precisa entender sobre Marketing Pessoal

Que tal aprender um pouco sobre como o marketing pessoal pode te favorecer na sua profissão? Pensando nisso, Fernanda Marreira aborda o tema neste artigo.


marketing
Você trabalha o seu marketing pessoal?

Atualmente o que mais ouvimos falar é sobre Marketing, especialmente sobre o Marketing Digital, não é mesmo? Porém quase não ouvimos falar sobre o Marketing Pessoal.

Nas últimas semanas estive revisitando alguns conceitos e assuntos sobre carreira, e achei bastante pertinente trazer aqui para o blog essa temática.

Para introduzir o tema, quero te falar que quase me formei em Administração de Empresas, tendo abandonado o curso no 4º ano para cursar Psicologia e que antes de me tornar psicóloga já atuava no mercado de trabalho há 13 anos.

Como conhecimento e experiências nunca ficam perdidos, hoje utilizo na minha prática clínica e na mentoria de carreira para psicólogos inciantes. Na prática clínica? Sim!

Como já conversamos em artigos anteriores, o nosso fazer na Psicologia não se constitui apenas no domínio das teorias e técnicas psicológicas, antes precisamos desenvolver muitas outras competências para dar conta de ocupar esse lugar e executar um trabalho de excelência.

Assim, resolvi falar sobre este tema, mas antes vamos voltar no conceito de Marketing para dar clareza do que eu quero falar: Marketing é um conjunto de ferramentas para alavancar um produto, serviço ou imagem de uma empresa.

Marketing Pessoal

Por derivação o Marketing Pessoal é a utilização de ferramentas só que para o uso em benefício da própria carreira. A seguir os 10 Mandamentos do Marketing Pessoal e após uma pequena reflexão para que você realize uma autoavaliação sincera, topa? Então vamos lá!

1) Liderança: habilidade de influenciar o próximo seja por persuasão ou pela própria confiança que transparece;

2) Confiança: pessoa na qual buscamos segurança, conforto, esperança e admiração.

3) Visão: saber o que está fazendo e porque está fazendo, sugerindo pequenas mudanças para melhorar o próprio trabalho ou o dos colegas.

4) Espirito de equipe: oferecer ajuda sem necessariamente ser solicitado, fazer além do esperado.

5) Maturidade: solucionar conflitos sem criar mais conflitos, analisar cada situação e tentar compreendê-la. Tomar atitudes conscientes e sábia.

6) Integridade: fazer seu trabalho sem prejudicar ninguém.

7) Visibilidade: mostrar o seu trabalho sabendo onde quer chegar, foco no futuro.

8) Empatia: criar uma atmosfera agradável no ambiente do qual faz parte, visando o bem-estar dos outros. Elogiar o trabalho, a iniciativa e o empenho dos outros colegas.

9) Otimismo: saber lidar com as situações adversas de forma positiva, com o foco nas soluções.

10) Paciência: virtude necessária no desenvolvimento de todos os mandamentos anteriores.

Vamos pensar sobre cada uma dessas competências? Pegue uma folha e atribua uma nota de 0 a 10, sendo 0 para não possuo essa competência e 10 para competência a todo vapor.

Seja o máximo transparente consigo, onde não houve obtenção de nota satisfatória pense em atitudes que podem elevar essa pontuação nas próximas semanas e em estratégias consistentes para uma melhoria contínua.

Excelência

Quando falamos em excelência a ideia é de potencializar nossas qualidades e desenvolver outras habilidades necessárias.

Então, como profissionais da psicologia sabemos que a aprendizagem e o desenvolvimento fazem parte de todo o trajeto da vida humana, portanto não se apavore caso identifique pontos a serem melhorados, a proposta é de estímulo ao crescimento.

Se estiver muito difícil gerenciar a carreira (e sabemos que é desafiador mesmo, especialmente para os autônomos), não deixe de buscar as ferramentas para auxiliar nessa construção, que pode ser desde a nossa tão conhecida psicoterapia ou mesmo um processo de mentoria direcionado como o que é oferecido aqui na Revire.

Dessa forma, eu mesma já fui extremamente beneficiada com esse serviço, por isso enfatizo e recomendo.

E tem mais: O que eu acho mas fantástico em tudo isso é que ao passo que melhoramos na carreira em psicologia, também evoluímos como pessoas, concordam? 🙂


Se puder me conta o que achou desse conteúdo aqui nos comentários. Até a próxima!

Fernanda Marreiro

Fernanda Marreiro

Psicóloga Clínica
Romae